Entrevista com Dennis van de Ven

Dennis

Dennis

Dennis

Entrevista com Dennis van de Ven (Protagonista)

Como você se envolveu no projeto da série?
Meu melhor amigo, Jeroen, me perguntou se eu queria interpretar outro personagem principal em uma série policial que ele e Pieter Kuijpers queriam fazer, com base em Tatort, uma série policial alemã que costumávamos assistir no sul da Holanda, de onde nós três somos, nos anos 90.

O que o atraiu você para o papel?
Como Jeroen e eu trabalhamos juntos agora por 22 anos como comediantes, temos uma espécie de química que seria uma ótima base para um policial bom e um policial ruim, pois ele é do tipo de homem que age, e eu sou do tipo que pensa. Durante as temporadas, encontrei uma forma de tornar o meu personagem um herói desajeitado que às vezes está no topo das coisas e, outras vezes, está correndo atrás do seu colega.

Como você se preparou para esse personagem?
O mais importante é que Jeroen e eu escrevemos as temporadas junto com os escritores da Winchester McFly. Então podemos colocar no diálogo o que achamos interessante, além da trama. Nós também colocamos nos roteiros o que queremos contar sobre as pessoas de forma sensorial. Nós adoramos a estranheza e os momentos estranhos, e as piadas que não parecem piadas. Além disso, fomos com alguns policiais em campo e tivemos um treinamento, incluindo a parte de tiro.

Como você descreveria a série para um público de fora da Holanda. Por exemplo, para alguém no Brasil?
Smeris é ambientada em Tilburg, que não é uma das grandes cidades da Holanda, mas é mais uma espécie de vilarejo como Fargo. Combinamos a forte trama com o humor de um anti-herói e um cowboy do centro da cidade. É uma montanha-russa entre humor e tensão.

Quais foram suas influências quando se trata de se preparar para esse papel? Você pegou algo de outros personagens de ficção?
Sem ser muito engraçado, eu uso dicas do inspetor Clouseau (Peter Sellers) e Tommy Lee Jones em Assassinos Por Natureza. Willem Niessen está sempre tenso e nunca muito à vontade.

Você também compartilha uma amizade com o seu colega e vocês tocaram juntos. Qual é a importância dessa amizade no momento da filmagem dos episódios e do desenvolvimento de ambos os personagens?
A nossa amizade é igual a companhia de nossos personagens; somos pessoas bastante diferentes, mas juntos, a soma é mais do que as partes soltas. E embora Smeris seja muito mais séria do que o nosso trabalho de comédia, temos a mesma filmagem divertida, sempre procurando a brincadeira extra, a linha extra e o olhar extra.

Ela se tornou uma produção bem-sucedida e foi renovada por 3 temporadas. Você esperava que a série fosse ter este sucesso?
Tivemos que ser muito pacientes antes de termos a oportunidade de renovar para a segunda temporada, mas as classificações foram tão boas que eles não podiam recusar. Por isso, enquanto ainda estávamos filmando a terceira temporada, eles já pediram a quarta. Assim, a confiança cresceu ao longo do caminho.

Você está trabalhando em algum projeto no momento? Pode nos falar algo sobre ele?
Estamos editando a nona temporada do nosso programa de comédia, Draadstaal, que será transmitido em novembro. Eles já pediram a temporada seguinte, por isso, eu tenho que começar a escrever em breve. No próximo ano, dirigirei um remake de uma comédia belga para a televisão holandesa. E estou trabalhando em um roteiro com Jeroen Annokkee, com quem eu tive um curta premiado, Suiker. Além disso, temos alguns novos formatos que estamos discutindo com alguns produtores, mas, claro, não posso dizer nada sobre isso ainda.

Voltar ao Strike Force

Inscreva-se para receber o Boletim Informativo do Eurochannel!

Não perca as nossas últimas programações, sorteios e eventos exclusivos!